Como serão os ambientes de trabalho pós-pandemia?


COVID-19


 


Como serão os ambientes de trabalho pós-pandemia?


 


O mundo não será o mesmo pós-pandemia. A tecnologia passou a ser nossa principal aliada para manter vivos nossos negócios e os ambientes corporativos foram substituídos por home offices. De acordo com dados de uma pesquisa realizada pela FGV, 67,4% dos trabalhadores formais estão trabalhando a partir de suas casas.


Para muitos profissionais e empresas, a adoção do home office (ou trabalho remoto), foi uma solução eficaz, e acredita-se que esta nova realidade é um caminho sem volta para muitas organizações. Mark Zuckerberg, criador do Facebook, planeja tornar permanente o trabalho remoto para milhares de seus funcionários, mas muitos ainda trabalharão de forma presencial nos escritórios da rede social.


Ainda que o trabalho remoto para muitos empreendedores seja uma alternativa que tem funcionado bem, para outros não será possível manter esta modalidade em seus negócios, e em algum momento, haverá a retomada do trabalho presencial. E como os escritórios receberão os colaboradores? Quais ações deverão ser imediatamente implantadas para a segurança no ambiente de trabalho?


Muitas das principais novas regras de ambientes de trabalho são óbvias, nada diferente do que já temos vivenciado, como medição de temperatura, testagem, distanciamento, higienizar as mãos e o uso de máscaras. Teremos que fazer pequenos sacrifícios para nos adaptar ao novo “normal”  de forma responsável e consciente pelo bem de todos.


 


1 - Higienização


 


Com certeza a desinfecção é o ponto mais importante para o retorno ao ambiente de trabalho. Higienização frequente dos ambientes, instalação de dispensers de álcool gel, o fornecimento de produtos de higiene pessoal e o uso EPI (Equipamento de Proteção iIndividual, como máscaras, por exemplo), será essencial. Além disso, não é recomendado o compartilhamento de copos, itens de cozinha e objetos pessoais como canetas e bloquinhos de mesa, por exemplo. 


Para evitar-se o contato com interruptores, recomenda-se a instalação de sensores de presença em ambientes de baixa circulação.


Algumas das ações que temos feito em nossas casas deverão ser estendidas aos escritórios onde trabalhamos, como deixar os sapatos do lado de fora, ou utilizar protetores para os calçados, higienização constante das mãos (com álcool ou água e sabão), uso de máscaras (sempre) e em alguns casos de luvas, entre outros artifícios de segurança.


Teclados e monitores deverão ser higienizados antes de depois do uso.


Nos banheiros, prevê-se o uso do acionamento automático de torneiras e válvulas de sanitários,  além de secadores elétricos para mãos.


Será necessário também um lixo específico para o descarte de máscara, luvas, capotes e demais EPIs descartáveis.


 


2 - Ventilação


 


A ventilação natural é um recurso importante para arejar os ambientes. Deve-se manter os espaços com as janelas abertas para melhor circulação de ar.


 


3 - Decoração


 


Para facilitar a higienização dos espaços, será necessário tornar os ambientes mais minimalistas, reduzir ao máximo objetos que possam acumular resíduos ou que sejam de difícil limpeza. Uma alternativa para tornar os ambientes atrativos á a pintura de painéis artísticos ou a aplicação de adesivos vinílicos com artes gráficas, por exemplo. Infelizmente, a personalização das mesas com objetos pessoais deverão ser evitadas, pois criam ambientes propícios ao acúmulo de microorganismos.


 


4 - Mobiliários e Layout


 


Inevitavelmente muitas empresas precisarão substituir ou adequar seus mobiliários, além disso, deverão rever os layouts dos ambientes (disposição do mobiliário), para possibilitar um distanciamento seguro entre seus funcionários. 


Deverão ser priorizadas a facilidade de limpeza, afastamento entre trabalhadores e diminuição do adensamento dos escritórios.


Bolsas e artigos pessoais deverão ser mantidos em armários com cadeados (lockeres), distantes das bancadas de trabalho. 


Materiais de uso comum, como livros, papéis de impressão, pastas, entre outros, devem  ser armazenados em armários e os usuários devem higienizar-se antes e depois de manuseá-los.


Provavelmente será necessário substituir o estofamento de poltronas e cadeiras de tecidos absorventes por materiais que facilitem a limpeza dos assentos.


A instalação de divisórias de acrílico entre postos de trabalho para separar mesas pode ser implantada para maior segurança dos funcionários.


Para empresas onde o distanciamento entre profissionais pode representar uma quantidade insuficiente de postos de trabalho, talvez seja necessário adotar um sistema de rodízio de trabalhadores, o que deve ser cuidadosamente estudado pela empresa antes da implantação, a fim de evitar a contaminação de seus funcionários, ou ainda, verificar a possibilidade de manter alguns setores ou funcionários em home office.


As salas de reunião terão sua capacidade reduzida, e em alguns casos, a porta deverá ser mantida aberta para melhor circulação de ar. Recomenda-se também, reduzir a freqüência de reuniões.


 


Novos Modelos de Negócios


 


É possível que num futuro próximo as reuniões seja feitas com hologramas, em ambientes 3D e que você tenha o seu avatar de negócios, mas enquanto isso ainda não é possível, que tal substituir de forma definitiva, algumas reuniões presenciais por um e-mail ou video conferências como você já tem feito? E caso ainda não esteja utilizando a tecnologia a favor de seu negócio, seria importante passar a fazê-la, o contato virtual não está mais no futuro, ele é o presente. 


Fomos obrigados a aderir a soluções tecnológicas para que pudéssemos manter nossos negócios funcionando e para facilitar nosso cotidiano diante do isolamento social. O trabalho passou a ser remoto, as aulas on-line, as compras por e-commerce, o serviço de delivery passou a ser um grande aliado para evitar sair de casa. O uso de serviços e comércios locais passou a ser uma prioridade para quem precisou sair de casa.


Infelizmente quando retomarmos à normalidade, muitos negócios não terão resistido aos impactos econômicos causados pelo novo Coronavirus, empresas tradicionais estarão se reinventando, novos negócios estarão surgindo por necessidade, nada será como antes.


 


por Gloria Brandão


sócia fundadora da empresa De Castro & Brandão Arquitetura


Arquiteta e Urbanista (FAU/UFRJ)


Mestre em Engenharia Urbana (Escola Politécnica/UFRJ)


 


« Voltar